terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Cuidado!! A pressão do mundo pode derrubar seus próprios sonhos.

Deus tem todo o cuidado com a sua vida! não desperdice nenhuma chance que Deus tem te dado. ABRA OS OLHOS!!! 

Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário?

Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?


Mateus 6:25-26

Que a PAZ de Jesus esteja na sua casa!!

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Feliz 2015!!!

Para o ano de 2015 estão prevendo um grande "deserto", gostei dessa colocação,  foi no deserto que o povo de Deus obteve as maiores vitórias.

Não se deixe levar pela opinião de alguns especialistas, deixe que Deus seja o seu guia, sua rocha.

Sabemos que a nossa administração política não está das melhores, mais o povo de Deus depende d'Ele e sabemos que n'Ele podemos confiar.

Entregue esse ano de 2015 para o único Deus, o grande "Eu Sou" e simplesmente terá o melhor ano da sua vida.


Palavra base, Êxodo ( a saída do povo escolhido do Egito)

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Medo do Futuro


"Será que é tudo isso em vão? Será que vamos conseguir vencer?"

Musica que mexeu com todos os Jovens em varias décadas...

A musica "será"? é composta de perguntas que questionam nosso futuro. Nosso medo do futuro se baseia na dúvida, e a base da dúvida é a pergunta: Será?
A angustia não tratada gera mudanças de humor e solidão que acabam criando o ambiente ideal para perdermos a fé no amanhã.
O medo é o contrário da fé e não são poucos os jovens cristãos que têm medo de tudo e vivem se perguntando: Será que vou morrer cedo? Será que vou me casar? Será que vou perder meus familiares? Será que as pessoas vão me aceitar? Será que vou cair em pecado? Será que o diabo vai me pegar? Será que tem alguém ali no escuro? Será?
Mas Duas perguntas atormentam os jovens crentes mais que as outras:

1: Será que eu vou para o Céu ou para o Inferno? Muitos jovens procuram pastores e lideres perguntando e se preocupando com essa questão. Geralmente isso acontece depois de cometerem pecado e se sentem culpados e afastados de Deus. O que temos que entender é que quando a gente peca a gente perde a ALEGRIA DA SALVAÇÃO e NÃO a SALVAÇÃO, perdemos aquela vontade de dar risada mesmo quando tudo está difícil, Isso nos garante o Salmo Davitico 51:12. Mas nem por isso podemos deixar que em nossas vidas o pecado deixe de ser um acidente e se torne um encontro marcado.

2: O que o futuro tem preparado para mim? Temos que entender que ninguém (a não ser DEUS) sabe responder essa pergunta isso depende muito das suas escolhas de hoje e de amanhã.
Temos que entender que o nosso futuro nós não sabemos mais temos um Deus que tem o nosso futuro nas mãos dEle, é ele que tem tudo preparado para o nosso futuro TUDO! se seguirmos tudo conforme Ele diz sempre teremos as melhores coisas em nossos caminhos, Assim nos segura a palavra em Mt 6:33.

Se o medo do futuro o atormenta como um dia me atormentou, saiba que, bem melhor do que saber todas as respostas, é saber que Deus sabe de tudo e que nosso futuro está nas mãos d'Ele Devemos amar a Deus como nunca, assim alcançaremos o amor d'Ele Também. Devemos crer na palavra. 1 João 4:18 "No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora todo o medo" não tenha medo do seu futuro viva o seu presente com o seu futuro na cabeça! Trabalhe não tenha medo "apenas trabalhe".

terça-feira, 5 de abril de 2011

Presos Nas Ferragens e à Beira da Morte, Pastores Louvam a Deus e Levam Bombeiros às Lágrimas



Dois pastores evangélicos e um motociclista morreram num acidente envolvendo sete veículos, na manhã de ontem, na Rodovia do Contorno, trecho da BR 101 que liga Serra a Cariacica.

Os religiosos pertenciam à Igreja Assembleia de Deus e haviam saído de Alegre, município da Região Sul do Estado, rumo a uma convenção estadual da igreja em Nova Carapina II, na Serra.

Os veículos – cinco caminhões, uma moto e um automóvel Del Rey – bateram um atrás do outro. O engavetamento aconteceu às 8h15, no quilômetro 277, na Serra. Os pastores estavam no carro.

Tudo começou quando um caminhão freou por causa do intenso fluxo de carros no sentido Cariacica – Serra. Os veículos que vinham atrás dele frearam também, mas o último caminhão – de uma empresa de cerveja – não conseguiu parar a tempo. Com isso, os veículos que estavam à frente foram imprensados uns contra os outros.

Os pastores José Valadão de Souza e Nelson Palmeira dos Santos e o motociclista Jonas Pereira da Silva, 52 anos, morreram no local. Dois outros pastores, que também estavam no Del Rey, sobreviveram, e o motorista de um dos caminhões sofreu arranhões nas pernas. Nenhum dos outros caminhoneiros ficou ferido.
O proprietário e condutor do Del Rey é o pastor Dimas Cypriano, 61 anos, do município de Alegre. Ele saiu ileso do acidente e teve ajuda do motorista José Carlos Roberto, carona de um dos caminhões, para sair do veículo.

Seu amigo de infância, o pastor Benedito Bispo, 72, ficou preso às ferragens. Socorristas do Serviço Médico de Atendimento de Urgência (Samu) e bombeiros fizeram o resgate dele. O pastor teve politraumatismo e foi levado para o Hospital Dório Silva, na Serra.

A mulher de Benedito chegou a ver o marido sendo socorrido e teve que ser amparada por um familiar. Ela também seguia para a convenção num outro veículo. A rodovia ficou interditada durante vários momentos da manhã de ontem nos dois sentidos. O trecho só foi totalmente liberado no início da tarde.
O pastor Dimas Cypriano, que sobreviveu ileso ao acidente na manhã de ontem, no Contorno, contou que usava cinto de segurança e que ficou preso ao tentar sair. Ele dirigia o Del Rey e disse que precisou de ajuda para sair do carro. Mas depois continuou no local, acompanhando os trabalhos de resgate do colega, Benedito Bispo. Nas mãos, levava uma Bíblia que ficou suja de sangue. Mas isso não impediu que o pastor orasse durante o socorro.

O mais comovente do triste episódio, foi o relato dado por 2 pastores sobrevivente, e pelos bombeiros que tentavam tirar os pastores ainda com vida, que estavam presos nas ferragens.

As testemunha citadas acima, contam que os pastores Nelson Palmeiras e João Valadão, ainda com vida e presos nas ferragens, em meio a um mar de sangue que os envolvia, começaram a cantar o Hino 187 da harpa cristã:

Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!
Ainda que seja a dor
Que me una a ti,
Sempre hei de suplicar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!

Andando triste
Aqui na solidão
Paz e descanso
A mim teus braços dão
Nas trevas vou sonhar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!

Minh’alma cantará a ti Senhor!
E em Betel alçará padrão de
Amor,
Eu sempre hei de rogar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!

E quando Cristo,
Enfim, me vier chamar,
Nos céus, com serafins irei
Morar
Então me alegrarei
Perto de ti, meu Rei, meu Rei,
Meu Deus de ti!

Aos poucos suas vozes foram silenciando-se para sempre. As lagrimas tomaram conta dos bombeiros, acostumados a resgatar pessoas em acidentes graves, porem jamais viram alguem morrer cantando um hino; como foi o caso dos pastores Nelson Palmeiras e João Valadão .

Fonte

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Homossexualismo e Lesbianismo


A biblia ensina que o Homossexualismo é pecado. Deus criou o homem e a mulher e instituiu o casamento heterossexual (Gênesis 1:27; 2;24). Várias passagens biblicas condenam o homossexualismo Gênesis 29:5, Levítico 18:22029; romanos 1:24-28; 1Conríntios 6:9-10 Além disso, devemos saber que o homossexualismo não pode cumprir com o propósito de Deus para a Família. A União homossexual não pode gerar filhos nem criá-los segundo o padrão divino. Os próprios homossexuais não existiram se seus pais fossem do mesmo sexo.

O Homossexual leva uma vida de tortura, desejos insatisfeitos, conflitos internos, sentimentos de inferioridade e desespero. Ainda que muitos homossexuais afirmem que são felizes, a bíblia garante que isso é mentira. Não há realização longe de Deus.


Caso você sofra com tentações nessa área, peça ajuda ao Espírito Santo. Não se isole, busque acompanhamento do seu Pastor, abra o jogo e não sofra sozinho.


Caso você já esteja envolvido com o homossexualismo, arrependa-se, confesse seu pecado e mude de vida. Lembre-se ue o homossexualismo é um pecado que tem perdão. Há salvação pra aqueles que estão presos nesse vicío degradante. Portanto, pare de acusar outras pessoas pelo seu pecado. Pare de dizer que você nasceu assim. Abandone todo ressentimento. Esqueça o passado. Abandone os amigos homossexuais e apóie-se em Jesus Cristo. De modo nenhum você deve se associar a outros homossexuais ou com pessoas que possam levá-lo de volta ao pecado. Deus não te deixará sozinho nessa luta.


Pense nisto caso precise de Ajuda, nos avise por e-mail ou pelo site




Pense que hoje pode ser o seu ultimo dia e você ainda não conheceu a verdadeira palavra que dá vida, eterna e prazeres verdadeiros.


Obs. Na semana passada faleceu um colega meu que se envolveu com homossexualismo, não cabe a mim se ele está no céu ou no inferno (pois eu não estava no ultimo segundo de vida dele) mais fica a dor de ter perdido uma pessoa que poderia ter dado mais frutos na casa de Senhor,


Nasceu em 1987

Morreu o velho homem e nasceu novamente em 1999 (batismo)

Faleceu em 2011


Acorda povo cristão!!!

Aonde está o teu coração?

Varias vezes me pergunto aonde está o coração do POVO?

e infelizmente eu mesmo me respondo "eu não sei"

o fato de não saber já é de se preocupar, pois o normal da vida é a gente olhar pra uma pessoa e falar " essa pessoa é crente" ou " essa pessoa não é crente"

Hoje vejo pessoas diariamente preocupadas com sua vida Profissional e sua vida pessoal, ninguém mais pensa em colocar pessoas no céu, ou até mesmo pessoas na Igreja.

Agora eu não sei, se minha resposta mesmo é "eu não sei" ou " eu sei "

Vejo pessoas que prefere ficar em casa do que ir para a Igreja, vai na igreja somente para pagar uma divida semanal, ou estou mentindo?

Não vê a hora de acabar o culto para ir na casa do irmão comer um pizza!

Vamos ver o que fala TIAGO 4:4 "Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus"

No meu conceito ser amigo do mundo é ir e trabalhar menos a igreja e ser menos ativo na sua vida espiritual, ser menos amigo de Deus pode nos trazer alguns prejuízos, pense nisto podemos ganhar a empresa que trabalhamos e perder a nossa vida ministerial podemos ganhar a faculdade e perder a oportunidade de fazer seu talento crescer, todos os dias vejo desculpas esfarrapadas, " eu não trabalho mais por que eu trabalho muito na empresa", " já estou no meu limite não posso matar minha familia" , " Eu? você está louco já vou todos os Domingos na Igreja.!", " Eu não gosto de tal pessoa na Igreja!" e etc... vejo esse tipo de desculpas toda semana pessoas que não quer fazer nada mais quer aparecer para seu um "pop gospel" ai está minha pergunta esse povo precisa de porradas ou precisa de quebrar a cara para ver quem manda!?

Fica ai essa minha mensagem rápida para nosso pensamento, assim iremos pensar o que queremos para a nossa vida, ganhar Jesus ou o Mundo? tenho certeza que se ganharmos Jesus ganhamos o mundo. Mt 6:33


sábado, 25 de setembro de 2010

Você se valoriza?

"Muitas vezes não sabemos qual o nosso verdadeiro valor, e acabamos por nos contentar com o julgamento alheio, o que nos atrapalha e impede de alcançar os nossos objetivos"


O discípulo visitou seu mestre e disse:


- Mestre, sou um trapalhão, não valho nada, não sirvo para nada. Que posso fazer para melhorar, e que as pessoas me valorizem?


Ao que o mestre lhe respondeu:


-No momento não posso te ajudar. Preciso antes vender este colar, e poderás me auxiliar vendendo-o. Depois poderei ajudar-te.


O discípulo aceitou a missão, prestando atenção às determinações do mestre:


-Vende o colar pelo melhor preço que conseguires, pois tenho umas dívidas a resgatar, mas não aceites menos que três moedas de ouro.


Apesar de a aparência do colar não ser atrativa, o discípulo, uma vez no mercado, tratou de vendê-lo. Todos, no entanto, o gozavam quando mencionava a quantidade de moeda que pedia por aquele colar. Mostrou-o a muita gente, que se ria dele. A melhor oferta que conseguiu foi de três moedas, mas de prata. No entanto, ao recordar que o mestre lhe dissera que não poderia vender por menos de três moedas de ouro, rejeitou a oferta.


Depois de tentar vender o objeto e não conseguir, o discípulo, decepcionado, voltou ao mestre:


- Mestre, sinto muito, mas o máximo que me ofereceram pelo colar foram três moedas de prata. Creio que não posso enganar ninguém quanto ao seu verdadeiro valor.


O mestre escutou e o refutou:


-Certamente, primeiro deves conhecer o verdadeiro valor da jóia. Peço-te que regresses ao povoado e mostres o colar ao joalheiro. Pergunte-lhe seu verdadeiro valor, mas não o vendas, por favor. Primeiro regresse aqui com o colar.


O joalheiro examinou o colar e disse ao discípulo:


- Diga ao teu mestre que posso dar sessenta moedas de ouro pelo colar, se é que ele tem tanta pressa em vendê-lo.


O discípulo correu entusiasmado ao seu mestre para informá-lo da quantidade de moedas que oferecia o joalheiro. O mestre, sorrindo, ouviu o discípulo e replicou:


- És como este colar: uma jóia valiosa e única. Muitas vezes não sabemos qual o nosso verdadeiro valor, e acabamos por nos contentar com o julgamento alheio, o que nos atrapalha e impede de alcançar os nossos objetivos, por isso devemos nos auto avaliar e valorizar nosso verdadeiro valor. Somos nós mesmos quem devemos descobrir quanto valemos. Pretender que os outros o façam é um erro.

domingo, 12 de setembro de 2010

Púlpito


O PÚLPITO NÃO É:

# Palanque político.
# Lugar para desfile de moda.
# Oportunidade para falar "bonito".
# Declamar poesia.
# Exibir qualidades ou exaltar o eu.
# Momento para desforra pessoal ou do grupo.
# Contar histórias gregas ou outras inventadas...
# Oportunidade para ganhar confiança das pessoas.
# Para promover atividades ou setores não evangelísticos.
# Local para tentar "enrolar".
# "Quebra-galho"
# Local para atitudes grosseiras ou palavras àsperas.
# Chance para contar uma piada interessante.

O PÚLPITO É:


# Um pão a ser repartido.
# Uma verdade preciosa da Bíblia para ser conhecida ou lembrada.
# Uma chance para revelar o GRANDE AMOR DE DEUS ao ser humano em todos os tempos...
# Mostrar o interesse de Deus no homem, seu cuidado, seu plano Redentor e restaurador para aquele que Nele crer.
# Servir espiritualidade, comunhão e consagração.
# Revelar a grande esperança da volta de Jesus.

sábado, 11 de setembro de 2010

"Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração;" Romanos 12:12

Os japoneses sempre adoraram peixe fresco. Porém, as águas perto do Japão não produzem muitos peixes há décadas.

Assim, para alimentar sua população, eles aumentaram o tamanho dos navios pesqueiros e começaram a pescar mais longe.
Quanto mais longe iam, mais tempo levava para o peixe chegar. Se a viagem de volta levasse mais do que alguns dias, o peixe já não era mais fresco. E os japoneses não gostaram do gosto destes peixes.
Para resolver o problema, as empresas de pesca instalaram congeladores em seus barcos. Pescavam e congelavam os peixes em alto-mar. Os congeladores permitiram que os pesqueiros fossem mais longe e ficassem em alto-mar por muito mais tempo. Mesmo assim, notaram diferença entre o peixe fresco e o congelado e não gostaram.

Então, as empresas de pesca instalaram tanques de peixe nos navios pesqueiros. Eles pescavam e os colocavam nos tanques, “como sardinhas”. Depois de certo tempo, pela falta de espaço, os peixes paravam de se debater e não se moviam mais. Daí, chegavam vivos, porém, cansados e abatidos. E, novamente, os japoneses podiam notar a diferença do gosto.

Por não se mexerem durante dias, os peixes perdiam o gosto de frescor. Os japoneses preferiam o gosto de peixe fresco e não o gosto de peixe apático. Então, eles resolveram este problema? Como conseguiram trazer peixes com gosto de puro frescor?

Quando as pessoas atingem rápido seus objetivos, elas podem relaxar nas demais conquistas. E aí está o grande perigo! Podem começar a pensar que não precisam mais buscar tanto.

Para conservar o gosto de peixe fresco, os pesqueiros ainda colocam os peixes dentro de tanques. Além disso, também adicionam um pequeno tubarão em cada tanque. O tubarão come alguns peixes, mas a maioria deles chega “muito vivo” no mercado. Os peixes se mantêm atentos todo o tempo.

Se você já alcançou seus objetivos, coloque outros maiores.

Uma vez que suas necessidades pessoais ou familiares forem atingidas, dê graças a Deus e siga em frente na conquista de maiores realizações.

Mas não se acomode nunca na fé, coloque um tubarão no seu tanque.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Espirito de Porco








Um açougueiro estava em sua loja e ficou surpreso quando um cachorro entrou. Ele espantou o cachorro, mas logo o cãozinho voltou.

Novamente, ele tentou espantá-lo. Foi quando viu que o animal trazia um bilhete na boca.

Ele pegou o bilhete e leu:
“Pode mandar 12 salsichas e uma perna de carneiro, por favor? Assinado….” Ele olhou e viu que dentro da boca do cachorro havia uma nota de 50 Reais. Então, ele pegou o dinheiro, separou as salsichas e a perna de carneiro, colocou numa embalagem plástica, junto com o troco, e pôs na boca do cachorro.

O açougueiro ficou impressionado e como já era mesmo hora de fechar o açougue, ele decidiu seguir o animal. O cachorro desceu a rua, quando chegou ao cruzamento deixou a bolsa no chão, pulou e apertou o botão para fechar o sinal. Esperou pacientemente com o saco na boca até que o sinal fechasse e ele pudesse atravessar a rua.

O açougueiro e o cão foram caminhando pela rua, até que o cão parou em uma casa e pôs as compras na calçada. Então, voltou um pouco, correu e se atirou contra a porta. Tornou a fazer isso. Ninguém respondeu na casa. Então, o cachorro circundou a casa, pulou um muro baixo foi até a janela e começou a bater com a cabeça no vidro várias vezes.

Depois disso, caminhou de volta para a porta, foi quando alguém abriu e começou a bater no cachorro. O açougueiro correu até esta pessoa e o impediu, dizendo:
- Por Deus do céu, o que você está fazendo?
O seu cão é um gênio!

A pessoa respondeu:
- Um gênio? Esta já é a segunda vez esta semana que este estúpido ESQUECE a chave!

Moral da História:

Você pode continuar excedendo às expectativas, mas para os olhos de alguns, você estará sempre abaixo do esperado.
Qualquer um pode suportar as adversidades, mas se quiser testar o caráter de alguém, dê-lhe o poder.

Se algum dia alguém lhe disser que seu trabalho não é o de um profissional, lembre-se: amadores construíram a Arca de Noé e profissionais, o Titanic.

Quem conhece os outros é inteligente.
Quem conhece a si mesmo é iluminado.
Quem vence os outros é forte.
Quem vence a si mesmo é invencível.

O espírito de porco nunca está satisfeito!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

No mesmo barco ou em barco diferente?

As vezes me pergunto se estamos no mesmo barco ou em barco diferentes, pois não consigo acreditar que existe evangélicos falando mal de evangélicos! sendo eles da mesma ou de outra igreja! não creio que Deus fique feliz com isso!

Antes de falar mal de algum ministério cuide de suas ovelhas!
Antes de falar mal de ovelhas tire a pedra do seu olho!
Antes de falar mal de uma igreja ou denominação veja os frutos!
Antes de tudo consulte a Deus se ele está a favor de seu comentário!
As vezes compensa evangelizar para 2 pessoas que não conhece a cristo do que pregar para 10mil pessoas evangélicas!

Fica registrado minha opinião sobre esses casos de fofocas entre ministérios!

No mesmo barco que Jesus ou em outro barco querendo afundar quem está certo? ou até mesmo que está errado!? o barco de Jesus não tem Placa! apenas um objetivo!
Se você fala mal de algum evangélico fala mal de você mesmo,
Se você é pai imagina quando alguém fala mal de seu filho, esse sentimento é o mesmo que o PAI senti, quando alguém fala mal de você ou você fala mal de alguém!

Fica esperto!

Não faça o serviço de satanás

Jesus tem um plano na sua vida não um plano contra a sua vida!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Arquidiocese do Rio quer processar filme que destruiu Cristo




Destruir o Cristo Redentor no filme "2012" foi considerado um atentado contra a Igreja pela Arquidiocese do Rio de Janeiro, que cobra da Columbia Pictures o pagamento de uma indenização por uso indevido de imagens.

O filme do diretor alemão Roland Emmerich, o mesmo de "O dia depois de amanhã" e "Independence Day", narra a história do fim do mundo - que parece ser uma grande obsessão para Emmerich, a julgar por sua filmografia. "2012" é estrelado por John Cusack, Thandie Newton, Amanda Peet e Woody Harrelson. Vários monumentos são destruídos por computação gráfica, inclusive o Cristo Redentor.

A Arquidiocese do Rio não pode cobrar pelo uso da imagem do Cristo, mas tem poder de veto, com a justificativa de que se trata de um símbolo religioso e que deve ser preservado. O escritório da Columbia já foi notificado e os advogados da empresa em Los Angeles estão cuidando do caso.

A advogada Claudine Dutra, responsável pelo departamento jurídico da Arquidiocese, afirma que a Columbia procurou a entidade na fase de pré-produção e o pedido de autorização foi negado. Ela explicou que ainda não há um valor estipulado para a indenização.

O filme "2012" já não está mais em cartaz.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Caso Universal!?

É incrivel, como nós seres humanos só olhamos coisas ruins! é difícil olharmos coisas boas!

Universal, tem muitos defeitos, assim como todas as igrejas evangélicas!

FAÇO UM PEDIDO PARA TODOS OS "EVANGÉLICOS" , FALEM MAL DO capeta, satánas, inferno e só!

Envie e-mail falando de Deus! das coisas boas que ele faz! que ele é! Nunca falando mal do seus irmãos!

Quando houve um acidente na Igreja Renascer em Cristo (teto da igreja que desabou), a 1º igreja a ajudar eles foi o povo da Universal! isso niguem vê, ninguém manda e-mail falando das coisas boas das igrejas!

e quando isso acontecer sobre alguma igreja evangélica, o seu papel é simplesmente : ORAR por eles!

Mateus 7

1 Não julgueis, para que não sejais julgados.
2 Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.
3 E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho?
4 Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu?
5 Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Estudo: 33 mil jovens serão assassinados no Brasil em 7 anos

Um estudo inédito divulgado nesta terça-feira pela Secretaria Especial de Direitos Humanos estima que 33.504 adolescentes brasileiros serão assassinados em um período de sete anos, que vai de 2006 a 2013. O levantamento foi realizado pelo Laboratório de Análise da Violência da Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), em parceria com o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e com o Observatório de Favelas. A estimativa foi feita com base em dados de 2006, considerando-se a hipótese de que as circunstâncias observadas naquele ano sejam mantidas. Foram coletadas informações sobre as causas de mortes entre jovens de 12 a 19 anos de idade em 267 municípios, todos com mais 100 mil habitantes. O estudo também apresenta, pela primeira vez, o Índice de Homicídios na Adolescência (IHA) no Brasil, que mede a probabilidade de um adolescente ser assassinado. O valor médio do IHA brasileiro é de 2,03 - ou seja, de cada 1 mil adolescentes, 2,03 serão vítimas de homicídio antes de completar os 19 anos. "Esta cifra por si só deveria ser suficiente para transmitir a gravidade do fenômeno no Brasil, particularmente se lembrarmos que o homicídio contra adolescentes deveria ser, a princípio, um fato extremamente raro em qualquer sociedade", diz o estudo. A cidade com pior índice é Foz do Iguaçu (PR), com IHA de 9,7. Logo em seguida vêm Governador Valadares (MG), com 8,5, e Cariacica (ES), com 7,3. O município do Rio de Janeiro aparece na 21ª posição na lista, com IHA de 4,9, enquanto São Paulo fica em 151º lugar, com índice de 1,4.

Homens e negros
O estudo também indica que, entre os homens, a probabilidade de uma morte por homicídio é 12 vezes maior do que entre as mulheres.

Já a probabilidade de que um negro seja assassinado é duas vezes maior do que um branco, de acordo com o levantamento. A maior diferença foi constatada na cidade de Rio Verde (GO), onde a chance de um adolescente negro ser morto é 40 vezes maior.

Também foi calculada a probabilidade de um adolescente ser morto por uma arma de fogo. Em todo o Brasil, essa chance é três vezes maior, em comparação com outras armas. Os homicídios foram responsáveis por 46% das mortes entre adolescentes registradas em 2006. As mortes naturais somaram 26% e os acidentes, 22%. Os números apontam ainda que 3% dos adolescentes mortos se suicidaram e outros 3% morreram de causas "indefinidas".

sexta-feira, 26 de junho de 2009

"Eu nunca vou te abandonar!?"

Quando ouvimos " eu nunca vou te abandonar!"

o que isso quer dizer!?

Bom, vamos lá vou deixar minha opinião!

Quando ouço os corinthianos falarem isso ( EU NUNCA VOU TE ABANDONAR ) imagino que eles não estão acostumados a ganhar ou ser campeões, como nós torcedores de times grandes, (Palmeiras, São Paulo, Santos, Cruzeiro e etc.). Se o Corinthians perder algumas rodadas e não ser mais o Ronaldo F.C será que vocês não abandonaria? ou até mesmo reclamaria? não vejo esse espírito nessa torcida! veja uma torcida normal mais não tão besta ao ponto de ser loucos por mal resultados! se seu patrão abaixasse seu salário ao ponto de qualquer outro emprego ser melhor que o seu, você diria ao seu patrão - Eu nunca vou te abandonar - será? enxergo como a mesma coisa. Temos que sempre esperar o pior mais sempre temos que acreditar no melhor!

Meu time tem 11 no campo não 12, nos últimos jogos do mesmo só vejo 12 em campo..! que estranho né? com a super campanha de marketing que atrai muitos patrocínios qualquer time joga com 12 em campo, e mais 2 fora correndo nas laterais, com patrocínio até nas Axilas imagino que o time hoje deve conseguir um bom dinheiro para comprar o que quiser né? o que quiser mesmo! ou não?

Mais tudo bem quero enxergar que mesmo com o time perdendo vamos ouvir " aqui tem uma bando de louco!" pois para gostar de um time desse jeito só sendo louco mesmo! prefiro ser racional partindo dessa linha de raciocínio.

Essa é minha simples opinião

Pastor Urges His Flock to Bring Guns to Church


Jim Winn for The New York Times
Ken Pagano, the pastor at New Bethel Church, prepared to try a Heckler & Koch MP5 submachine gun at a shooting range.

LOUISVILL, Ky. — Ken Pagano, the pastor of the New Bethel Church here, is passionate about gun rights. He shoots regularly at the local firing range, and his sermon two weeks ago was on “God, Guns, Gospel and Geometry.” And on Saturday night, he is inviting his congregation of 150 and others to wear or carry their firearms into the sanctuary to “celebrate our rights as Americans!” as a promotional flier for the “open carry celebration” puts it.
Jim Winn for The New York Times

Ken Pagano of New Bethel Church in Louisville, Ky. “God and guns were part of the foundation of this country,” he said.


“God and guns were part of the foundation of this country,” Mr. Pagano, 49, said Wednesday in the small brick Assembly of God church, where a large wooden cross hung over the altar and two American flags jutted from side walls. “I don’t see any contradiction in this. Not every Christian denomination is pacifist.”

The bring-your-gun-to-church day, which will include a $1 raffle of a handgun, firearms safety lessons and a picnic, is another sign that the gun culture in the United States is thriving despite, or perhaps because of, President Obama’s election in November.

Last year, the National Rifle Association ran a multimillion-dollar advertising campaign against Mr. Obama, stoking fears that he would be the most antigun president in history and that firearms would be confiscated. One worry was that a Democratic president and Congress would reinstitute the assault-weapons ban, which expired in 2004.

But there is little support for the ban. Mr. Obama and his party have largely ignored gun-control issues, and the president even signed a measure that will allow firearms in national parks.

Still, the fear remains that Mr. Obama, and his attorney general, Eric H. Holder Jr., will crack down on guns sooner or later. That — along with the faltering economy, which gun sellers say has spurred purchases for self-defense — has fueled a record surge in gun sales.

“Every president wants to be re-elected, and gun bans are pretty much a nonstarter for getting re-elected,” said Win Underwood, owner of the Bluegrass Indoor Range here. “What I suspect is going to happen is, Obama’s going to cool his jets until he can get re-elected, and then he’ll start building his legacy in these hot-button areas.”

When Mr. Obama was elected in November, federal instant background checks, the best indicator of gun sales, jumped 42 percent over the previous November. Every month since then, the number of checks has been higher than the year before, although the postelection surge may be tapering off, as all surges eventually do. While the number of checks in April increased 30 percent from the year before, the number of checks in May (1,023,102) was only 15 percent higher than in May 2008.

The National Rifle Association says its membership is up 30 percent since November. And several states have recently passed laws allowing gun owners to carry firearms in more places — bars, restaurants, cars and parks.

“We have a very active agenda in all 50 states,” said Chris W. Cox, legislative director of the N.R.A., widely considered the country’s most powerful lobby. “We have right-to-carry laws in over 40 states; 20 years ago, it was in just six.”

Of the 40 states with right-to-carry laws, 20 allow guns in churches.

Public attitudes also seem to be turning more sympathetic to gun owners. In April, the Pew Research Center found for the first time that almost as many people said it was more important to protect the rights of gun owners (45 percent) than to control gun ownership (49 percent). Just a year ago, Pew said, 58 percent said gun control was more important than the rights of gun owners (37 percent).

Gun-control advocates say they feel increasingly ineffective, especially after a recent spate of high-profile shootings, including last month’s murder, inside a church in Kansas, of a doctor who performed late-term abortions.

“We’ve definitely been marginalized,” said Pam Gersh, a public relations consultant here who helped organize a rally in Louisville in 2000, to coincide with the Million Mom March against guns in Washington.

“The Brady Campaign and other similar organizations who advocate sensible gun responsibility laws don’t have the money and the political power — not even close,” she said. “This pastor is obviously crossing a line here and saying ‘I can even take my guns to church, and there is nothing you can do about it.’ ”

Ms. Gersh said she was not aware that a group of local churches and peace activists were staging a counterpicnic — called “Bring your peaceful heart, leave your gun at home” — at the same time as Mr. Pagano’s event.

Ken Pagano loads a handgun magazine.

But news media attention — some from overseas — has focused on Mr. Pagano, who has been planning the event for a year, in celebration of the Fourth of July. Cameras will not be allowed in the church, he said, to protect the congregation’s privacy.

The celebration will feature lessons in responsible gun ownership, Mr. Pagano said. Sheriff’s deputies will be at the doors to check that openly carried firearms are unloaded, but they will not check for concealed weapons.

“That’s the whole point of concealed,” Mr. Pagano said, adding that he was not worried because such owners require training.

Mr. Pagano said the church’s insurance company, which he would not identify, had canceled the church’s policy for the day on Saturday and told him that it would cancel the policy for good at the end of the year. If he cannot find insurance for Saturday, people will not be allowed in openly carrying their guns.

Arkansas and Georgia recently rejected efforts to allow people to carry concealed weapons in church. Watching the debate in Arkansas was John Phillips, pastor of the Central Church of Christ in Little Rock. In 1986, Mr. Phillips was preaching in a different church there when a gunman shot him and a parishioner. Both survived, but Mr. Phillips, 51, still has a bullet lodged in his spine.

In a telephone interview, he said he found the idea of “packing in the pew” abhorrent.

“There is a movement afoot across the nation, with the gun lobby pushing the envelope, trying to allow concealed weapons to be carried in places where they used to be prohibited — churches, schools, bars,” Mr. Phillips said.

“I don’t understand how any minister who is familiar with the teachings of the Bible can do this,” he added. “Jesus didn’t say, ‘Go ahead, make my day.’ ”

Mr. Pagano takes such comments as a challenge to his faith and says they make him more determined.

“When someone from within the church tells me that being a Christian and having firearms are contradictions, that they’re incompatible with the Gospel — baloney,” he said. “As soon as you start saying that it’s not something that Christians do, well, guns are just the foil. The issue now is the Gospel. So in a sense, it does become a crusade. Now the Gospel is at stake.”

fonte : http://www.nytimes.com/2009/06/26/us/26guns.html?pagewanted=1&_r=1&hp

terça-feira, 28 de abril de 2009

Jesus, Buda e Maomé juntos?

Um ano já se passou e grupos religiosos continuam “atirando pedras” no game “Faith Fighter“, do Molleindustria, um estúdio italiano que gosta de gerar burburinhos na web. Segundo a BBC, que destacou o fato - a reclamação da galera - entre as notícias do dia, colocar Jesus, Buda e Muhammad, juntinhos, em um game de luta é desrespeitoso.

O estúdio se defende e diz que nunca pensou em ofender nenhuma etnia religiosa. O críticos afirmam que o jogo online é profundamente provocativo. Os muçulmanos têm se sentido ainda mais constrangidos porque na tradição islâmica é expressamente proibido sequer desenhar Allah.

A notícia tem repercutido em sites e blogs especializados. O Metro UK também publicou uma nota sobre o polêmico assunto.

Depois de um enunciado formal emitido pela Organização da Conferência Islâmica (Organization of Islamic Conference, o OIC) solicitando a retirada do game da internet, o estúdio decidiu acatar a “sugestão” de excluir de seu portfólio o webgame.

O que você acha?


Fonte : http://colunistas.ig.com.br/gamegirl/2009/04/28/jesus-buda-e-muhammad-juntos/


Responda a enquete!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Congresso!


http://www.jesustemmais.com.br/images/logo.jpg

" ... Jovens, eu vos escrevi porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno." I Jo 2:14

Este evento tem por principal propósito despertar a juventude de nossa região ao trabalho social dentro das Igrejas / Comunidades Evangélicas com foco específico ao adolescente / jovem. Literalmente nosso objetivo e oração é formar um exército entre a mocidade para impactar suas cidades como agentes positivos de transformação.

Estamos no século XXI e, a cada dia, vemos nossa sociedade mais violenta, problemática e sem identidade. Os adolescentes e jovens da nossa geração acabam se tornando reféns deste sistema que vivemos. Nossa região, conhecida como Alto Tietê, dispõe de uma população de aproximadamente 720 mil jovens e adolescentes, e infelizmente são poucas Igrejas que realizam um trabalho efetivo e direcionado a este público.

Nunca tivemos números tão altos e alarmantes, em nosso País, de jovens envolvidos com álcool e drogas, depressão, complexos, homicídios, suicídios e criminalidade.

Por estes motivos, como cidadãos, nos sentimos comprometidos em combater estes problemas. Entendemos que o melhor combate é atingir não só a conseqüência, mas ir de encontro na causa, através dos direcionamentos proporcionados pela educação.

Também não podemos esquecer que a Igreja brasileira é a instituição que mais recupera e reintegra vidas a sociedade em nosso país.

Pretendemos alcançar congressistas de todo o Alto Tietê e outras regiões do Brasil, entre líderes e participantes de Ministério com Jovens, e durante as reuniões no período noturno, movimentar mais de 3.000 jovens nestes 03 dias.

Iremos promover palestras, workshops, entretenimento e criação de uma rede solidária entre as Igrejas do Alto Tietê para atuar com efetividade e envolvendo a juventude de nossa região. Todos os trabalhos serão realizados no salão da Igreja Cristã Mundial Sede - Sito Av. Armando Salles de Oliveira, 115 - Centro de Suzano - SP. Nos dias 30/04, 01 e 02/05 - Abertura: Quinta-Feira às 19h30.

Para o Congresso Jesus Tem + 2009!!! Vamos contar com a presença de líderes que são referências nacionais e internacionais no trabalho direcionado ao adolescente e jovem: MINISTÉRIO HELOÍSA ROSA, PR. OLGÁLVARO - TRIBAL GENERATION, MARCELO AGUIAR, PR. LUCIO BARRETO - GETSÊMANI/MG, PR. ANDERSON - TOQUE NO ALTAR/RJ E MAIS... OUTROS LÍDERES, BANDAS, DANÇAS, TEATRO, STREET DANCE, WORKSHOPS, SALVA+VIDAS, GALERA ICM, ACOMODAÇÃO PARA CONGRESSISTAS DE FORA E LANCHONETE.

VAGAS LIMITADAS!!! VENHA E TRAGA SUA GALERA!!!
FAÇA SUA INSCRIÇÃO NO SITE.
www.jesustemmais.com.br


http://www.jesustemmais.com.br/images/logo.jpg
--

quinta-feira, 12 de março de 2009

Igreja Renascer monta ringue de vale-tudo em templo para atrair mais jovens a culto em SP


APU GOMESrepórter-fotográfico da Folha de S.PauloDANIEL BERGAMASCOda Folha de S.Paulo
Dois, três, quatro rounds e, com o perdedor estirado na lona, o pastor Mazola encerra a primeira série de lutas e anuncia o início do culto.
É 1h da madrugada de sábado e o templo da Igreja Renascer em Cristo em Alphaville, na Grande São Paulo, abriga seu primeiro campeonato de vale-tudo, esporte de combate que mescla modalidades como boxe e caratê. "Queremos atrair mais jovens", conta o bispo Leandro Miglioli, 33, de jeans e camiseta polo.
Sem álcool e cigarro, mas com a pancadaria tradicional do esporte, o festival reuniu frequentadores de academias da região para se enfrentarem no ringue colado ao altar. O público (bermuda, chinelo, tatuagem) vibrava.
Apu Gomes - 7.mar.09/Folha Imagem
Lutadores participam de torneio de vale-tudo na Renascer em Alphaville (Grande SP)
O locutor do embate ficava no palco onde os pastores fazem as pregações. Na pausa para louvor no mesmo local, o pastor Mazola (cabeça raspada e camiseta regata de lutador) contou que já foi usuário de drogas e convocou os presentes a se converterem.
"Cerca de 60 jovens entregaram a vida para Jesus", diz Miglioli, que cadastrou nomes e telefones dos convertidos.
Culto encerrado, a luta continua -até depois das 3h30, cinco horas após começar. Satisfeita, a igreja fará outro campeonato neste ano.
"Um ringue ao lado do altar é inusitado, mas não extraordinário entre evangélicos", diz a antropóloga Clara Mafra, pesquisadora da religião. "Nos anos 1940, eles introduziram no Brasil guitarras em cultos. Nos anos 1950, a Assembleia de Deus fez concursos de miss entre as irmãs e não deu certo. A junção de sagrado e mundano causa estranheza, que pode ser ruim ou ter apelo como bom marketing religioso."
Jiu-jitsu
Duas vezes por semana, o mesmo templo da Renascer fica aberto para treinos de jiu-jitsu. "Quem vem aprende esporte e larga os vícios do mundão", diz Emerson Silva, 27, que se diz cético sobre as polêmicas envolvendo a igreja (prisão dos líderes por sonegação e críticas pela queda do teto de um templo que deixou nove mortos).
As lutas acontecem no fundo da igreja, após os cultos. "O primeiro foco é Deus, mas o esporte ajuda os jovens", diz Filipe Farias, 18, frequentador também da igreja Bola de Neve, que adota sintonia com esporte --no caso, uma prancha de surfe sobre o púlpito.
Clique no texto e veja a fonte!

quarta-feira, 11 de março de 2009

Quem eram os doze (12) discípulos/apóstolos de Jesus Cristo?


Resposta:
A palavra “discípulos” se refere a um “aprendiz” ou “seguidor”. A palavra “apóstolo” se refere a “alguém que é enviado”. Enquanto Jesus estava na terra, os doze eram chamados discípulos. Os 12 discípulos seguiram a Jesus Cristo, aprenderam com Ele, e foram treinados por Ele. Após a ressurreição e a ascensão de Jesus, Ele enviou os discípulos ao mundo (Mateus 28:18-20) para que fossem Suas testemunhas. Eles então passaram a ser conhecidos como os doze apóstolos. No entanto, mesmo quando Jesus ainda estava na terra, os termos discípulos e apóstolos eram de certa forma usados alternadamente, enquanto Jesus os treinava e enviava para pregarem.

Os doze discípulos/apóstolos originais estão listados em Mateus 10:2-4: “Ora, os nomes dos doze apóstolos são estes: primeiro, Simão, por sobrenome Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão; Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; Simão, o Zelote, e Judas Iscariotes, que foi quem o traiu”. A Bíblia também lista os 12 discípulos/apóstolos em Marcos 3:16-19 e Lucas 6:13-16. Ao comparar as três passagens, há algumas pequenas diferenças. Aparentemente, Tadeu também era conhecido como “Judas, filho de Tiago” (Lucas 6:16). Simão, o Zelote também era conhecido como Simão, o cananeu. Judas Iscariotes, que traiu Jesus, foi substituído entre os doze apóstolos por Matias (veja Atos 1:20-26). Alguns professores bíblicos vêem Matias como um membro “inválido” para os 12 apóstolos, e acreditam que o apóstolo Paulo foi a escolha de Deus para substituir Judas Iscariotes como o décimo segundo apóstolo.

Os doze discípulos/apóstolos eram homens comuns a quem Deus usou de maneira extraordinária. Entre os 12 estavam pescadores, um coletor de impostos, um revolucionário. Os Evangelhos registram as constantes falhas, dificuldades e dúvidas destes doze homens que seguiam a Jesus Cristo. Após testemunharem a ressurreição e a ascensão de Jesus ao Céu, o Espírito Santo transformou os discípulos/apóstolos em homens poderosos de Deus que “viraram o mundo de cabeça para baixo” (Atos 17:6). Qual foi a mudança? Os 12 apóstolos/discípulos haviam “estado com Jesus” (Atos 4:13). Que o mesmo possa ser dito de nós!

segunda-feira, 9 de março de 2009

Pastor morto em igreja em Illinois desviou do 1º tiro com Bíblia

WASHINGTON - O pastor Fred Winters, que morreu hoje após disparos feitos por um homem em sua igreja, no Estado de Illinois, conseguiu desviar da primeira bala com a ajuda da Bíblia, informaram fontes policiais.

No tiroteio, três pessoas ficaram feridas, incluindo o autor dos disparos.

O atirador falou rapidamente com o pastor antes de disparar contra ele com uma pistola semiautomática, e, a seguir, começou a esfaquear-se antes que os fiéis conseguissem detê-lo, afirmaram hoje fontes policiais.


AP
Fiéis tentaram conter agressor

Dois desses fiéis ficaram feridos ao tentar conter o agressor.

A Polícia disse que o reverendo conseguiu escapar do primeiro tiro com a ajuda da Bíblia, em uma cena que as testemunhas disseram ter sido horripilante, mas alguns chegaram a pensar, em um primeiro momento, que se tratava de uma piada.

"Pensamos que se tratava de uma espécie de interpretação dramática", disse à imprensa local Linda Cunningham, uma testemunha, que ressaltou que, após o primeiro tiro, a única coisa que via eram os restos da Bíblia destruída pelo impacto da bala.

A Polícia disse desconhecer se o reverendo e o responsável do crime se conheciam antes.

"Não sabemos a relação (entre o homem armado e o pastor)", disse à imprensa o agente Ralph Timmins.

O pastor foi declarado morto no Hospital Anderson, próximo à localidade de Maryville, onde fica a igreja, informou a porta-voz do centro, Natalie Head.

O atirador e uma das vítimas, Terry Bullard, de 39 anos, foram atendidos no Hospital de St. Louis.

A situação de Bullard é delicada, segundo Laura Keller, porta-voz do hospital, que não revelou detalhes sobre a situação do agressor.

A outra vítima, Keith Melton, recebeu atendimento médico no Centro Médico Gateway Regional e teve alta, segundo a porta-voz do centro Kate Allaria.

Segundo o site da igreja, Winters, pai de dois filhos, foi presidente da Associação Batista Estadual de Illinois e professor-adjunto do Seminário Teológico Batista do Meio-Oeste.

A igreja na qual aconteceu o fato tem 1.200 membros.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Lembra Dele? Gilmar vira pastor e empresário do segmento gospel

Ex-zagueiro é braço direito da esposa e cantora evangélica Aline Barros. Na nova profissão, é dono de produtora, estúdio 3D e palco móvel

Na contramão dos ex-jogadores que sofrem psicológica e financeiramente com a aposentadoria, Gilmar dos Santos aproveitou o afastamento dos gramados para apostar na sua veia empresarial. Como a maioria dos outroras companheiros, confirma que não via a hora de oferecer mais atenção à família. Aliado à esposa e ao filho, ele passou a se dedicar ainda mais à igreja evangélica Comunidade Zona Sul, no Rio de Janeiro. Não só virou pastor, depois de oito anos de estudo, como despertou para o mercado gospel.

Fabrício Costa/GLOBOESPORTE.COM

Gilmar dos Santos é pastor auxiliar da Igreja Comunidade Evangélica Internacional Zona Sul, no Rio

Em vez de bolas, camisas e chuteiras, o ex-zagueiro de São Paulo, Palmeiras, Flamengo e Botafogo agora coleciona CDs, DVDs e muitos prêmios muitos prêmios da esposa. Tudo na sombra da esposa - e também pastora da mesma igreja -, a cantora Aline Barros. Em 17 anos de carreira, ela lançou 20 álbuns - cinco em espanhol e quatro voltados para o público infantil. Vendeu cerca de 5 milhões de cópias e arrebatou certificações de Disco de Ouro, Platina Duplo, Platina Triplo e Diamante. Foi também a primeira brasileira do segmento evangélico a ganhar o Grammy Latino.

- A Aline (Barros) é um grande sucesso. Dentro do segmento gospel, ela é disparada a mais conhecida. Já o meu negócio com a música é nos bastidores. Eu me sinto realizado em trabalhar por trás das câmeras. Se antes eu era o famoso da família, agora a gente torce para sair na foto (risos) - brincou o empresário, de 37 anos, que viajou na última semana para o Nordeste a fim de confirmar 17 shows da esposa naquela região para abril deste ano.

Patrimônio: duas empresas e uma carreta reconhecida

Reprodução/Site oficial

Esposa Aline Barros, o filho Nicolas e Gilmar

Diferentemente da maioria dos jogadores, que tendem a ter uma queda na qualidade de vida após dar adeus ao futebol, Gilmar dos Santos comemora os resultados de suas três empresas. Ele é dono da produtora Genesis e do AB3D estúdio - de computação gráfica hiper-realista.

Além disso, o ex-defensor se orgulha de ser proprietário do primeiro palco móvel da América Latina. Trata-se de uma carreta de 14m de comprimento com 8,5m de altura. Em quatro horas, a caminhão se transforma num palco capaz de suportar um peso de 25 toneladas, entre cantores e instrumentos.

- Não posso me queixar. A minha vida está tão corrida como na época em que eu jogava futebol. Atualmente, ajudo 32 famílias e muitos planos no segmento evangélico - afirmou o co-autor do romance "Muito mais que um sonho", sobre casamento, família e religião, em parceria com a mulher Aline Barros.

Gilmar
Nome completo Gilmar Jorge dos Santos
Idade 37 anos (03/04/1971)
Nascimento Itapecerica da Serra (SP)
Posição Zagueiro
Clubes Itaquaquecetuba-SP (84 a 87), São Paulo (87 a 95), Portuguesa (95), Cruzeiro (95 e 96) Zaragoza-ESP (96 a 2000), Rayo Vallecano-ESP (2000), Palmeiras (2000), Flamengo (2001) e Botafogo (2002 a 2004)
Títulos Paulista (89 e 91), Brasileiro (91), Libertadores (92 e 93), Mundial de Clubes (92 e 93), Recopa Sul-Americana (93 e 94), Super Copa da Libertadores (94), Conmebol (94), Mineiro (96) e Copa do Brasil (96).

Infância sofrida em Itapecerica da Serra (SP)


Por outro lado, a infância de Gilmar não foi nem um pouco glamourosa. Ele chegou a catar papelão nas ruas e vender produtos de limpeza para ajudar no orçamento familiar. Filho de militar, o menino de Itapecerica da Serra custou a convencer o pai que seu futuro estava nos gramados. Na visão dos progenitores, futebol era coisa de vagabundo.

Gil, como é carinhosamente chamado pelos mais íntimos, teve inúmeras bolas de plástico furadas pela mãe. Ainda assim acreditou que o seu “primeiro e principal brinquedo” um dia iria proporcionar uma vida mais digna à família "dos Santos".

A persistência foi herdada do amigo de futebol de várzea Cafu, que passou por 13 peneiras em diversos clubes até ser aprovado no São Paulo. Embora não tenha sido testado tantas vezes como o capitão do penta, Gilmar conta que mal tinha o que comer no café da manhã. E o caminho até o Itaquaquecetuba - time que começou a carreira ao lado do ex-lateral-direito - era uma verdadeira via crúcis (assista ao vídeo do time de Gilmar e Cia. na final do Mundial de Clubes de 1993, entre São Paulo e Milan).


- Tinha dias que eu e o Cafu dividíamos um pão com banana. E aquilo era como se fosse um caviar. Para irmos aos treinos, pegávamos um ônibus até o centro. Depois o metrô. E, para completar, um trem. Era preciso vender amendoins no trajeto e fazer roda de samba nos vagões para pagar a passagem - contou o ex-zagueiro, de 37 anos.

Conversão à igreja evangélica e deboche dos amigos

Fabrício Costa/GLOBOESPORTE.COM

Gilmar comanda parte do culto em igreja evangélica do Rio de Janeiro na qual é membro há dez anos

Concomitantemente à fama, Gilmar sentiu necessidade de entrar para a igreja evangélica e, aos 21 anos, aderir à Associação Atletas de Cristo - que no início da década de 90 contava com nomes como Silas, Muller, Mazinho, Bebeto, Jorginho e Taffarel. Ganhou pontos com o pastor Ronaldo, pai da então pretendente Aline Barros. No entanto, virou alvo de chacota dos companheiros de profissão.
- Eles faziam todos os tipos de piada. "Agora não gosta mais de mulher. Não vê mais aquele tipo de revista. Vai dar dinheiro para pastor. Cadê a Bíblia?" Se eu sentava para almoçar e não orava, era motivo de encarnação. Alguns colegas simulavam conversa com mulheres e fingiam que iam me passar o telefone. Antes de eu atender, diziam que eu não era mais chegado naquilo. Sofri nas concentrações do São Paulo, mas consegui driblar a marcação do meu sogro e casar com a minha esposa - recordou Gilmar, que afirma ter virado evangélico em momento conturbado de sua vida. Logo após a morte do pai, por infarto, aos 49 anos, em 92.

'Paizão' Telê Santana

Mal sabia Gilmar que estava prestes a ganhar outro grande amigo. Apesar do jeito turrão, o então técnico Telê Santana o tinha como filho. Não só se sentia à vontade para dar broncas como ajuda o pupilo a administrar as finanças. No entanto, até despertar para os conselhos do treinador, Gilmar sofreu para entrar nos eixos (assista ao vídeo ao lado do primeiro título mundial do São Paulo, em 1992).


- Certa vez, ele mandou o São Paulo me emprestar ao São Bento, de Sorocaba, porque eu tinha me machucado jogando pelada. Na época, achei a atitude do Telê (Santana) exagerada. Porém, acabei sendo o artilheiro deste time no Estadual subsequente. E ele pediu para eu voltar ao Morumbi. O Telê via a gente como um filho, não só como atleta. Era muito perfeccionista e com ele não tinha "migué". Se o jogador estivesse 99,9%, não jogava. Só ia a campo quem estava 100% condicionado física e tecnicamente - garantiu o pai de Nicolas, de 6 anos.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Estudo Introdutório às 95 Teses de Martinho Lutero


-1-

Segundo a tradição luterana que celebra a persona Lutero (1483-1546), as “95 Teses” foram afixadas na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg em 31 de outubro de 1517. Se este ato, recorrentemente celebrado como fundador da Reforma Luterana, realmente aconteceu, não teria, em si mesmo, nada de excepcional: na verdade, isso era um modo costumeiro de se anunciar uma “disputa” ou “justa teológica” entre os doutos de Wittenberg. Portanto, não se tratava de uma ação que deveria ter uma conotação individual, visto que as disputas eram debates que envolviam professores e estudantes. Isso explica o fato de Lutero pedir para aqueles que não pudessem se fazer presentes à disputa que, ao menos, enviassem as suas opiniões por escrito para serem lidas. Afinal, segundo as regras da eloqüência, as “teses” deveriam ser vistas como “pontos a serem debatidos” em uma plenária de doutos.

Nesse sentido, trata-se de um ato público envolvendo doutos e/ou seus estudantes, como demonstra o fato de as teses terem sido escritas originalmente em latim e não em alemão (língua familiar de Lutero). Observa-se também que o tom irônico e uma certa preocupação com a métrica e a rima fazem parte do ritual de “belo discurso” (arte da retórica) – conhecimento obrigatório nas universidades de teologia e direito da época de Lutero. Portanto, ao lançar as suas “95 Teses”, Lutero tornava públicas (mas não populares) as suas idéias, com a finalidade de expor a doutos algumas questões que o incomodavam a respeito das “vendas de perdão/indulgências”, cujas contradições práticas e doutrinais, somadas à corrupção de determinados setores do clero, eram vistas por ele como uma ameaça à credibilidade da fé cristã e da Igreja de Roma. Isso significa que, ao tornar públicas as suas teses, Lutero esperava receber o apoio do papa, em vez de sua censura. No entanto, depois de novas disputas teológicas, desta vez com agentes enviados pelo Papa Leão X (1475-1521; pontificado: 1513-1521), foi redigida contra Lutero uma carta de excomunhão datada em 21 de janeiro de 1521, que ele receberia meses depois.

-2-

Entre 1517 e 1521, Lutero fora submetido a algumas disputas teológicas – e quase metade de suas teses foi refutada pelos doutos do papa. Aos poucos, a situação fugiu dos muros da universidade, e muitas idéias de Lutero foram convenientemente distorcidas por membros da nobreza alemã, que utilizaram a “desculpa da fé” para tomar bens e terras de famílias inimigas e da própria Igreja. Imprevisivelmente, toda esta situação foi consolidando uma atmosfera de cisma religioso na Europa que estava longe das intenções de Lutero. Portanto, deve-se entender que a ação de Lutero misturou-se involuntariamente com interesses políticos e com outras tendências do debate teológico e da cultura religiosa que remontavam ao século XIII.

Ora, isso nos possibilita entender por que Lutero manifestou-se tanto contra as revoltas camponesas (marcadamente “anabatistas”) quanto contra os nobres que mesclavam seus interesses mundanos com o debate teológico que ele suscitara. Além disso, não se deve perder de vista que Lutero estava historicamente inscrito no universo sociocultural do Antigo Regime e, portanto, era muito cioso das hierarquias sociais. Por isso mesmo, criticava a nobreza e parte do clero por não darem “bom exemplo” ao explorarem os camponeses com tributações extraordinárias, pois isso apenas servia, segundo a sua opinião, para alimentar novas circunstâncias de revoltas sociais. Assim, não é paradoxal que, em 1520, ele tenha escrito o seu “Apelo à Nobreza Germânica” e, em 1525, no contexto das guerras camponesas, tenha escrito “Sobre a Autoridade Secular”, admoestando ambos os estamentos por criarem situações de instabilidade política e social.

Nestes dois escritos, Lutero define claramente o caracter secular da autoridade política como chave para se manterem equilibrados os direitos e responsabilidades que justificavam as hierarquias sociais tradicionais. Portanto, frente a um mundo que se apresentava instável e inseguro, Lutero apelava para dispositivos tradicionais como meios de restauração da segurança no mundo, mas com uma novidade doutrinal que jamais foi praticada plenamente em parte nenhuma da Europa do Antigo Regime: uma década antes de ceder ao pragmatismo dos príncipes protestantes da Liga de Smalkalde (1531-1547), quando então ratificou o princípio “cujus regio, ejus religio”, Lutero afirmava que era Deus que deveria julgar a fé individual e, portanto, nenhuma autoridade política deveria, em nome dela, causar perdas de vida e de bens entre seus súditos.

-3-

Por fim, valeria fazer uma última indagação: Se a ação de Lutero de lançar as suas teses em 1517 não teria nada de excepcional, por que posteriormente isso foi celebrado em muitos livros didáticos de história com uma certa conotação de heroicidade ou excepcionalidade?

· Em primeiro lugar, porque os desdobramentos não necessariamente luteranos de uma fé reformada ganharam avultado corpo e agentes sociais nas décadas que se seguiram a Lutero. Sem isso, não há quem celebre ou crie memória social em torno de determinado evento como “marco fundador”. Em todo caso, foi ao final do século XVII, contexto da expansão militar de Luís XIV (que revogou o Édito de Nantes em 1685) na Europa Central, que se começou a celebrar nos meios protestantes o “dia de lançamento das 95 Teses de Lutero” como um marco histórico de ruptura com Roma.

· Em segundo lugar, desde meados do século XVIII, várias idéias de outros escritos de Lutero foram lidos numa chave interpretativa iluminista de progresso cultural, particularmente as implicações sociais e institucionais de sua percepção de que a fé ou a consciência religiosa não deveria ser matéria dos príncipes. Aliás, vale lembrar que Immanuel Kant (1724-1804) está inscrito na tradição luterana quando escreve o artigo “O que é Esclarecimento?”(1784), no qual define um nexo causal entre secularização, tolerância religiosa e progresso cultural.

· Em terceiro lugar, é bastante significativo lembrarmos que, no último terço do século XIX, políticos e intelectuais – bem antes da sociologia de Max Weber – começaram a estabelecer um nexo causal entre “protestantismo”, “progresso capitalista” e “expansão colonial moderna”, de modo a explicar e justificar a emergência imperial da Grã-Bretanha e da Prússia em face à “decadência ibérica” e à “derrocada napoleônica”.

Cronologia:

1483, 10 de novembro: Nasce Lutero.

1509: Henrique VIII(1491-1547) torna-se rei da Inglaterra. Nasce João Calvino em 10 de julho.

1517, 31 de outubro: Lutero fixa as suas “95 Teses” na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg.

1518: Lutero recusa-se a retratar-se perante o papa Leão X(1475-1521; pontificado: 1513-1521).

1520, junho: Leão X condena 41 proposições de Lutero.

1521, 21 de janeiro: Leão X excomunga Lutero, mas levam vários meses até a ordem de excomunhão chegar à Alemanha.

1522: Lutero publica a sua advertência contra os distúrbios e publica a tradução do grego para o alemão do Novo Testamento, com gravuras de Lucas Cranach (1472-1553).

1523: Lutero publica texto que fala do direito de a comunidade de fiéis julgar toda a doutrina e nomear e demitir clérigos.

1524-1525: Revolta camponesa liderada por Thomas Müntzer (1490-1525).

1525: Lutero publica texto contra os “profetas sagrados” e contra as “revoltas camponesas”.

1528: Mandato imperial ameaça de morte os anabatistas.

1530: Carlos V (1500-1558) – rei de Espanha desde 1516 e eleito imperador Habsburgo desde 1519 – fracassa em impor uma ortodoxia religiosa ao império.

1534: Ruptura de Henrique VIII da Inglaterra com Roma, supressão dos monastérios e concessão de permissão para os padres se casarem. Na Alemanha, Lutero publica a tradução do hebreu para o alemão do Velho Testamento.

1534-1535: Anabatistas tomam o poder em Münster, mas seu “reino” é derrubado pela coligação de forças católicas e protestantes.

1536: Surge a primeira edição de “Instituições da Religião Cristã”, de João Calvino. Ocorre também a introdução da bíblia vernacular na Inglaterra.

1542: Calvino organiza o seu catecismo em Genebra.

1544: Calvino admoesta os anabatistas.

1545, 13 de dezembro: Começa o Concílio de Trento.

1546, 18 de fevereiro: Morre Lutero.

1547: Eduardo VI(1537-1553) assume o trono na Inglaterra e demonstra forte tendência calvinista.

1549: Eduardo VI lança o livro de pregações e pretende forçar a uniformidade religiosa em torno da fé reformada na Inglaterra.

1553: Morre Eduardo VI e sua irmã mais velha, Maria I(1516-1558), pretende o retorno da Inglaterra ao Catolicismo.

1558: Morre Carlos V da Espanha e Maria I da Inglaterra. Elizabeth (1533-1603) assume o trono da Inglaterra e tenta restaurar o anglicanismo de seu pai, Henrique VIII, o que significava evitar os extremos puritano(Eduardo VI) e católico(Maria I).

1560, Março: Fracasso de uma conspiração de jovens aristocratas huguenotes contra a Casa Católica do Duque de Guise na França. Primeiro édito de tolerância é editado.

1561, Setembro-Novembro: Colóquio de Poissy, mas fracassa a tentativa de restaurar a unidade entre huguenotes e católicos na França.

1562, março: Massacre dos huguenotes em Vassy comandada pela Casa Católica de Guise. Primeira Guerra Civil Religiosa na França.

1563: Em março, Catarina de Médicis(1519-1589; regente: 1560-1574) tenta por fim à guerra civil francesa com a assinatura da Paz de Amboise, que concede certo grau de tolerância para os huguenotes. Neste mesmo ano, encerra-se o Concílio de Trento.

1564, 27 de maio: Morre João Calvino. Théodore de Béze(1519-1605) sucede Calvino como líder da reforma protestante centrada em Genebra.

1572, 23-24 de agosto: Noite do Massacre de São Bartolomeu em Paris.

1598: Publicação do Édito de Nantes.

1685: Revogação do Édito de Nantes.

As 95 Teses de Martinho Lutero

(Versão bilíngüe, com texto original em latim)

Amore et studio elucidande veritatis hec subscripta disputabuntur Wittenberge, Presidente R. P. Martino Lutther, Artium et S. Theologie Magistro eiusdemque ibidem lectore Ordinario. Quare petit, ut qui non possunt verbis presentes nobiscum disceptare agant id literis absentes.

In nomine domini nostri Hiesu Christi.

Amen.

1. Dominus et magister noster Iesus Christus dicendo ‘Penitentiam agite &c.’ omnem vitam fidelium penitentiam esse voluit.

2. Quod verbum de penitentia sacramentali (id est confessionis et satisfactionis, que sacerdotum ministerio celebratur) non potest intelligi.

3. Non tamen solam intendit interiorem, immo interior nulla est, nisi foris operetur varias carnis mortificationes.

4. Manet itaque pena, donec manet odium sui (id est penitentia vera intus), scilicet usque ad introitum regni celorum.

5. Papa non vult nec potest ullas penas remittere preter eas, quas arbitrio vel suo vel canonum imposuit.

6. Papa non potest remittere ullam culpam nisi declarando, et approbando remissam a deo Aut certe remittendo casus reservatos sibi, quibus contemptis culpa prorsus remaneret.

7. Nulli prorus remittit deus culpam, quin simul eum subiiciat humiliatum in omnibus sacerdoti suo vicario.

8. Canones penitentiales solum viventibus sunt impositi nihilque morituris secundum eosdem debet imponi.

9. Inde bene nobis facit spiritussanctus in papa excipiendo in suis decretis semper articulum mortis et necessitatis.

10. Indocte et male faciunt sacerdotes ii, qui morituris penitentias canonicas in purgatorium reservant.

11. Zizania illa de mutanda pena Canonica in penam purgatorii videntur certe dormientibus episcopis seminata.

12. Olim pene canonice non post, sed ante absolutionem imponebantur tanquam tentamenta vere contritionis.

13. Morituri per mortem omnia solvunt et legibus canonum mortui iam sunt, habentes iure earum relaxationem.

14. Imperfecta sanitas seu charitas morituri necessario secum fert magnum timorem, tantoque maiorem, quanto minor fuerit ipsa.

15. Hic timor et horror satis est se solo (ut alia taceam) facere penam purgatorii, cum sit proximus desperationis horrori.

16. Videntur infernus, purgaturium, celum differre, sicut desperatio, prope desperatio, securitas differunt.

17. Necessarium videtur animabus in purgatorio sicut minni horrorem ita augeri charitatem.

18. Nec probatum videtur ullis aut rationibus aut scripturis, quod sint extra statum meriti seu augende charitatis.

19. Nec hoc probatum esse videtur, quod sint de sua beatitudine certe et secure, saltem omnes, licet nos certissimi simus.

20. Igitur papa per remissionem plenariam omnium penarum non simpliciter omnium intelligit, sed a seipso tantummodo impositarum.

21. Errant itaque indulgentiarum predicatores ii, qui dicunt per pape indulgentias hominem ab omni pena solvi et salvari.

22. Quin nullam remittit animabus in purgatorio, quam in hac vita debuissent secundum Canones solvere.

23. Si remissio ulla omnium omnino penarum potest alicui dari, certum est eam non nisi perfectissimis, i.e. paucissimis, dari.

24. Falli ob id necesse est maiorem partem populi per indifferentem illam et magnificam pene solute promissionem.

25.Qualem potestatem habet papa in purgatorium generaliter, talem habet quilibet Episcopus et Curatus in sua diocesi et parochia specialiter.

[26] Optime facit papa, quod non potestate clavis (quam nullam habet) sed per modum suffragii dat animabus remissionem.

[27] Hominem predicant, qui statim ut iactus nummus in cistam tinnierit evolare dicunt animam.

[28] Certum est, nummo in cistam tinniente augeri questum et avariciam posse: suffragium autem ecclesie est in arbitrio dei solius.

[29] Quis scit, si omnes anime in purgatorio velint redimi, sicut de s. Severino et Paschali factum narratur.

[30] Nullus securus est de veritate sue contritionis, multominus de consecutione plenarie remissionis.

[31] Quam rarus est vere penitens, tam rarus est vere indulgentias redimens, i. e. rarissimus.

[32] Damnabuntur ineternum cum suis magistris, qui per literas veniarum securos sese credunt de sua salute.

[33] Cavendi sunt nimis, qui dicunt venias illas Pape donum esse illud dei inestimabile, quo reconciliatur homo deo.

[34] Gratie enim ille veniales tantum respiciunt penas satisfactionis sacramentalis ab homine constitutas.

[35] Non christiana predicant, qui docent, quod redempturis animas vel confessionalia non sit necessaria contritio.

[36] Quilibet christianus vere compunctus habet remissionem plenariam a pena et culpa etiam sine literis veniarum sibi debitam.

[37] Quilibet versus christianus, sive vivus sive mortuus, habet participationem omnium bonorum Christi et Ecclesie etiam sine literis veniarum a deo sibi datam.

[38] Remissio tamen et participatio Pape nullo modo est contemnenda, quia (ut dixi) est declaratio remissionis divine.

[39] Difficillimum est etiam doctissimis Theologis simul extollere veniarum largitatem et contritionis veritatem coram populo.

[40] Contritionis veritas penas querit et amat, Veniarum autem largitas relaxat et odisse facit, saltem occasione.

[41] Caute sunt venie apostolice predicande, ne populus false intelligat eas preferri ceteris bonis operibus charitatis.

[42] Docendi sunt christiani, quod Pape mens non est, redemptionem veniarum ulla ex parte comparandam esse operibus misericordie.

[43] Docendi sunt christiani, quod dans pauperi aut mutuans egenti melius facit quam si venias redimereet.

[44] Quia per opus charitatis crescit charitas et fit homo melior, sed per venias non fit melior sed tantummodo a pena liberior.

[45] Docendi sunt christiani, quod, qui videt egenum et neglecto eo dat pro veniis, non idulgentias Pape sed indignationem dei sibi vendicat.

[46] Docendi sunt christiani, quod nisi superfluis abundent necessaria tenentur domui sue retinere et nequaquam propter venias effundere.

[47] Docendi sunt christiani, quod redemptio veniarum est libera, non precepta.

[48] Docendi sunt christiani, quod Papa sicut magis eget ita magis optat in veniis dandis pro se devotam orationem quam promptam pecuniam.

[49] Docendi sunt christiani, quod venie Pape sunt utiles, si non in cas confidant, Sed nocentissime, si timorem dei per eas amittant.

[50] Docendi sunt christiani, quod si Papa nosset exactiones venialium predicatorum, mallet Basilicam s. Petri in cineres ire quam edificari cute, carne et ossibus ovium suarum.

[51] Docendi sunt christiani, quod Papa sicut debet ita vellet, etiam vendita (si opus sit) Basilicam s. Petri, de suis pecuniis dare illis, a quorum plurimis quidam concionatores veniarum pecuniam eliciunt.

[52] Vana est fiducia salutis per literas veniarum, etiam si Commissarius, immo Papa ipse suam animam pro illis impigneraret.

[53] Hostes Christi et Pape sunt ii, qui propter venias predicandas verbum dei in aliis ecclesiis penitus silere iubent.

[54] Iniuria fit verbo dei, dum in eodem sermone equale vel longius tempus impenditur veniis quam illi.

[55] Mens Pape necessario est, quod, si venie (quod minimum est) una campana, unis pompis et ceremoniis celebrantur, Euangelium (quod maximum est) centum campanis, centum pompis, centum ceremoniis predicetur.

[56] Thesauri ecclesie, unde Pape dat indulgentias, neque satis nominati sunt neque cogniti apud populum Christi.

[57] Temporales certe non esse patet, quod non tam facile eos profundunt, sed tantummodo colligunt multi concionatorum.

[58] Nec sunt merita Christi et sanctorum, quia hec semper sine Papa operantur gratiam hominis interioris et crucem, mortem infernumque exterioris.

[59] Thesauros ecclesie s. Laurentius dixit esse pauperes ecclesie, sed locutus est usu vocabuli suo tempore.

[60] Sine temeritate dicimus claves ecclesie (merito Christi donatas) esse thesaurum istum.

[61] Clarum est enim, quod ad remissionem penarum et casuum sola sufficit potestas Pape.

[62] Verus thesaurus ecclesie est sacrosanctum euangelium glorie et gratie dei.

[63] Hic autem est merito odiosissimus, quia ex primis facit novissimos.

[64] Thesaurus autem indulgentiarum merito est gratissimus, quia ex novissimis facit primos.

[65] Igitur thesauri Euangelici rhetia sunt, quibus olim piscabantur viros divitiarum.

[66] Thesauri indulgentiarum rhetia sunt, quibus nunc piscantur divitias virorum.

[67] Indulgentie, quas concionatores vociferantur maximas gratias, intelliguntur vere tales quoad questum promovendum.

[68] Sunt tamen re vera minime ad gratiam dei et crucis pietatem comparate.

[69] Tenentur Episcopi et Curati veniarum apostolicarum Commissarios cum omni reverentia admittere.

[70] Sed magis tenentur omnibus oculis intendere, omnibus auribus advertere, ne pro commissione Pape sua illi somnia predicent.

[71] Contra veniarum apostolicarum veritatem qui loquitur, sit ille anathema et maledictus.

[72] Qui vero, contra libidinem ac licentiam verborum Concionatoris veniarum curam agit, sit ille benedictus.

[73] Sicut Papa iuste fulminat eos, qui in fraudem negocii veniarum quacunque arte machinantur.

[74] Multomagnis fulminare intendit eos, qui per veniarum pretextum in fraudem sancte charitatis et veritatis machinantur.

[75] Opinari venias papales tantas esse, ut solvere possint hominem, etiam si quis per impossibile dei genitricem violasset, Est insanire.

[76] Dicimus contra, quod venie papales nec minimum venialium peccatorum tollere possint quo ad culpam.

[77] Quod dicitur, nec si s. Petrus modo Papa esset maiores gratias donare posset, est blasphemia in sanctum Petrum et Papam.

[78] Dicimus contra, quod etiam iste et quilibet papa maiores habet, scilicet Euangelium, virtutes, gratias, curationum &c. ut 1.Co.XII.

[79] Dicere, Crucem armis papalibus insigniter erectam cruci Christi equivalere, blasphemia est.

[80] Rationem reddent Episcopi, Curati et Theologi, Qui tales sermones in populum licere sinunt.

[81] Facit hec licentiosa veniarum predicatio, ut nec reverentiam Pape facile sit etiam doctis viris redimere a calumniis aut certe argutis questionibus laicorm.

[82] Scilicet. Cur Papa non evacuat purgatorium propter sanctissimam charitatem et summam animarum necessitatem ut causam omnium iustissimam, Si infinitas animas redimit propter pecuniam funestissimam ad structuram Basilice ut causam levissimam?

[83] Item. Cur permanent exequie et anniversaria defunctorum et non reddit aut recipi permittit beneficia pro illis instituta, cum iam sit iniuria pro redemptis orare?

[84] Item. Que illa nova pietas Dei et Pape, quod impio et inimico propter pecuniam concedunt animam piam et amicam dei redimere, Et tamen propter necessitatem ipsius met pie et dilecte anime non redimunt eam gratuita charitate?

[85] Item. Cur Canones penitentiales re ipsa et non usu iam diu in semet abrogati et mortui adhuc tamen pecuniis redimuntur per concessionem indulgentiarum tanquam vivacissimi?

[86] Item. Cur Papa, cuius opes hodie sunt opulentissimis Crassis crassiores, non de suis pecuniis magis quam pauperum fidelium struit unam tantummodo Basilicam sancti Petri?

[87] Item. Quid remittit aut participat Papa iis, qui per contritionem perfectam ius habent plenarie remissionis et participationis?

[88] Item. Quid adderetur ecclesie boni maioris, Si Papa, sicut semel facit, ita centies in die cuilibet fidelium has remissiones et participationes tribueret?

[89] Ex quo Papa salutem querit animarum per venias magis quam pecunias, Cur suspendit literas et venias iam olim concessas, cum sint eque efficaces?

[90] Hec scrupulosissima laicorum argumenta sola potestate compescere nec reddita ratione diluere, Est ecclesiam et Papam hostibus ridendos exponere et infelices christianos facere.

[91] Si ergo venie secundum spiritum et mentem Pape predicarentur, facile illa omnia solverentur, immo non essent.

[92] Valeant itaque omnes illi prophete, qui dicunt populo Christi “Pax pax”, et non est pax.

[93] Bene agant omnes illi prophete, qui dicunt populo Christi “Crux crux”, et non est crux.

[94] Exhortandi sunt Christiani, ut caput suum Christum per penas, mortes infernosque sequi studeant,

[95] Ac sic magis per multas tribulationes intrare celum quam per securitatem pacis confidant.

M.D.Xvii.

Com um desejo ardente de trazer a verdade à luz, as seguintes teses serão defendidas em Wittenberg sob a presidência do Rev. Frei Martinho Lutero, Mestre de Artes, Mestre de Sagrada Teologia e Professor oficial da mesma. Ele, portanto, pede que todos os que não puderem estar presentes e disputar com ele verbalmente, façam-no por escrito.

Em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Amém.

1. Ao dizer: "Fazei penitência", etc. [Mt 4.17], o nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo quis que toda a vida dos fiéis fosse penitência.

2. Esta penitência não pode ser entendida como penitência sacramental (isto é, da confissão e satisfação celebrada pelo ministério dos sacerdotes).

3. No entanto, ela não se refere apenas a uma penitência interior; sim, a penitência interior seria nula se, externamente, não produzisse toda sorte de mortificação da carne.

4. Por conseqüência, a pena perdura enquanto persiste o ódio de si mesmo (isto é a verdadeira penitência interior), ou seja, até a entrada do reino dos céus.

5. O papa não quer nem pode dispensar de quaisquer penas senão daquelas que impôs por decisão própria ou dos cânones.

6. O papa não tem o poder de perdoar culpa a não ser declarando ou confirmando que ela foi perdoada por Deus; ou, certamente, perdoados os casos que lhe são reservados. Se ele deixasse de observar essas limitações, a culpa permaneceria.

7. Deus não perdoa a culpa de qualquer pessoa sem, ao mesmo tempo, sujeitá-la, em tudo humilhada, ao sacerdote, seu vigário.

8. Os cânones penitenciais são impostos apenas aos vivos; segundo os mesmos cânones, nada deve ser imposto aos moribundos.

9. Por isso, o Espírito Santo nos beneficia através do papa quando este, em seus decretos, sempre exclui a circunstância da morte e da necessidade.

10. Agem mal e sem conhecimento de causa aqueles sacerdotes que reservam aos moribundos penitências canônicas para o purgatório.

11. Essa cizânia de transformar a pena canônica em pena do purgatório parece ter sido semeada enquanto os bispos certamente dormiam.

12. Antigamente se impunham as penas canônicas não depois, mas antes da absolvição, como verificação da verdadeira contrição.

13. Através da morte, os moribundos pagam tudo e já estão mortos para as leis canônicas, tendo, por direito, isenção das mesmas.

14. Saúde ou amor imperfeito no moribundo necessariamente traz consigo grande temor, e tanto mais quanto menor for o amor.

15. Este temor e horror por si sós já bastam (para não falar de outras coisas) para produzir a pena do purgatório, uma vez que estão próximos do horror do desespero.

16. Inferno, purgatório e céu parecem diferir da mesma forma que o desespero, o semidesespero e a segurança.

17. Parece necessário, para as almas no purgatório, que o horror devesse diminuir à medida que o amor crescesse.

18. Parece não ter sido provado, nem por meio de argumentos racionais nem da Escritura, que elas se encontrem fora do estado de mérito ou de crescimento no amor.

19. Também parece não ter sido provado que as almas no purgatório estejam certas de sua bem-aventurança, ao menos não todas, mesmo que nós, de nossa parte, tenhamos plena certeza disso.

20. Portanto, por remissão plena de todas as penas, o papa não entende simplesmente todas, mas somente aquelas que ele mesmo impôs.

21. Erram, portanto, os pregadores de indulgências que afirmam que a pessoa é absolvida de toda pena e salva pelas indulgências do papa.

22. Com efeito, ele não dispensa as almas no purgatório de uma única pena que, segundo os cânones, elas deveriam ter pago nesta vida.

23. Se é que se pode dar algum perdão de todas as penas a alguém, ele, certamente, só é dado aos mais perfeitos, isto é, pouquíssimos.

24. Por isso, a maior parte do povo está sendo necessariamente ludibriada por essa magnífica e indistinta promessa de absolvição da pena.

25. O mesmo poder que o papa tem sobre o purgatório de modo geral, qualquer bispo e cura tem em sua diocese e paróquia em particular.

26. O papa faz muito bem ao dar remissão às almas não pelo poder das chaves (que ele não tem), mas por meio de intercessão.

27. Pregam doutrina mundana os que dizem que, tão logo tilintar a moeda lançada na caixa, a alma sairá voando [do purgatório para o céu].

28. Certo é que, ao tilintar a moeda na caixa[1], pode aumentar o lucro e a cobiça; a intercessão da Igreja, porém, depende apenas da vontade de Deus.

29. E quem é que sabe se todas as almas no purgatório querem ser resgatadas, como na história contada a respeito de São Severino e São Pascoal?

30. Ninguém tem certeza da veracidade de sua contrição, muito menos de haver conseguido plena remissão.

31. Tão raro como quem é penitente de verdade é quem adquire autenticamente as indulgências, ou seja, é raríssimo.

32. Serão condenados em eternidade, juntamente com seus mestres, aqueles que se julgam seguros de sua salvação através de carta de indulgência.

33. Deve-se ter muita cautela com aqueles que dizem serem as indulgências do papa aquela inestimável dádiva de Deus através da qual a pessoa é reconciliada com Ele.

34. Pois aquelas graças das indulgências se referem somente às penas de satisfação sacramental, determinadas por seres humanos.

35. Os que ensinam que a contrição não é necessária para obter redenção ou indulgência, estão pregando doutrinas incompatíveis com o cristão.

36. Qualquer cristão que está verdadeiramente contrito tem remissão plena tanto da pena como da culpa, que são suas dívidas, mesmo sem uma carta de indulgência.

37. Qualquer cristão verdadeiro, vivo ou morto, participa de todos os benefícios de Cristo e da Igreja, que são dons de Deus, mesmo sem carta de indulgência.

38. Contudo, o perdão distribuído pelo papa não deve ser desprezado, pois – como disse – é uma declaração da remissão divina[2].

39. Até mesmo para os mais doutos teólogos é dificílimo exaltar simultaneamente perante o povo a liberalidade de indulgências e a verdadeira contrição.[3]

40. A verdadeira contrição procura e ama as penas, ao passo que a abundância das indulgências as afrouxa e faz odiá-las, ou pelo menos dá ocasião para tanto.[4]

41. Deve-se pregar com muita cautela sobre as indulgências apostólicas, para que o povo não as julgue erroneamente como preferíveis às demais boas obras do amor.[5]

42. Deve-se ensinar aos cristãos que não é pensamento do papa que a compra de indulgências possa, de alguma forma, ser comparada com as obras de misericórdia.

43. Deve-se ensinar aos cristãos que, dando ao pobre ou emprestando ao necessitado, procedem melhor do que se comprassem indulgências.[6]

44. Ocorre que através da obra de amor cresce o amor e a pessoa se torna melhor, ao passo que com as indulgências ela não se torna melhor, mas apenas mais livre da pena.

45. Deve-se ensinar aos cristãos que quem vê um carente e o negligencia para gastar com indulgências obtém para si não as indulgências do papa, mas a ira de Deus.

46. Deve-se ensinar aos cristãos que, se não tiverem bens em abundância, devem conservar o que é necessário para sua casa e de forma alguma desperdiçar dinheiro com indulgência.

47. Deve-se ensinar aos cristãos que a compra de indulgências é livre e não constitui obrigação.

48. Deve ensinar-se aos cristãos que, ao conceder perdões, o papa tem mais desejo (assim como tem mais necessidade) de oração devota em seu favor do que do dinheiro que se está pronto a pagar.

49. Deve-se ensinar aos cristãos que as indulgências do papa são úteis se não depositam sua confiança nelas, porém, extremamente prejudiciais se perdem o temor de Deus por causa delas.

50. Deve-se ensinar aos cristãos que, se o papa soubesse das exações dos pregadores de indulgências, preferiria reduzir a cinzas a Basílica de S. Pedro a edificá-la com a pele, a carne e os ossos de suas ovelhas.

51. Deve-se ensinar aos cristãos que o papa estaria disposto – como é seu dever – a dar do seu dinheiro àqueles muitos de quem alguns pregadores de indulgências extorquem ardilosamente o dinheiro, mesmo que para isto fosse necessário vender a Basílica de S. Pedro.

52. Vã é a confiança na salvação por meio de cartas de indulgências, mesmo que o comissário ou até mesmo o próprio papa desse sua alma como garantia pelas mesmas.

53. São inimigos de Cristo e do Papa aqueles que, por causa da pregação de indulgências, fazem calar por inteiro a palavra de Deus nas demais igrejas.

54. Ofende-se a palavra de Deus quando, em um mesmo sermão, se dedica tanto ou mais tempo às indulgências do que a ela.

55. A atitude do Papa necessariamente é: se as indulgências (que são o menos importante) são celebradas com um toque de sino, uma procissão e uma cerimônia, o Evangelho (que é o mais importante) deve ser anunciado com uma centena de sinos, procissões e cerimônias.

56. Os tesouros da Igreja, a partir dos quais o papa concede as indulgências, não são suficientemente mencionados nem conhecidos entre o povo de Cristo.

57. É evidente que eles, certamente, não são de natureza temporal, visto que muitos pregadores não os distribuem tão facilmente, mas apenas os ajuntam.

58. Eles tampouco são os méritos de Cristo e dos santos, pois estes sempre operam, sem o papa, a graça do ser humano interior e a cruz, a morte e o inferno do ser humano exterior.

59. S. Lourenço disse que os pobres da Igreja são os tesouros da mesma, empregando, no entanto, a palavra como era usada em sua época.

60. É sem temeridade que dizemos que as chaves da Igreja, que foram proporcionadas pelo mérito de Cristo, constituem estes tesouros.

61. Pois está claro que, para a remissão das penas e dos casos especiais, o poder do papa por si só é suficiente.[7]

62. O verdadeiro tesouro da Igreja é o santíssimo Evangelho da glória e da graça de Deus.

63. Mas este tesouro é certamente o mais odiado, pois faz com que os primeiros sejam os últimos.

64. Em contrapartida, o tesouro das indulgências é certamente o mais benquisto, pois faz dos últimos os primeiros.

65. Portanto, os tesouros do Evangelho são as redes com que outrora se pescavam homens possuidores de riquezas.

66. Os tesouros das indulgências, por sua vez, são as redes com que hoje se pesca a riqueza dos homens.

67. As indulgências apregoadas pelos seus vendedores como as maiores graças realmente podem ser entendidas como tais, na medida em que dão boa renda.

68. Entretanto, na verdade, elas são as graças mais ínfimas em comparação com a graça de Deus e a piedade da cruz.

69. Os bispos e curas têm a obrigação de admitir com toda a reverência os comissários de indulgências apostólicas.

70. Têm, porém, a obrigação ainda maior de observar com os dois olhos e atentar com ambos os ouvidos para que esses comissários não preguem os seus próprios sonhos em lugar do que lhes foi incumbidos pelo papa.

71. Seja excomungado e amaldiçoado quem falar contra a verdade das indulgências apostólicas.

72. Seja bendito, porém, quem ficar alerta contra a devassidão e licenciosidade das palavras de um pregador de indulgências.

73. Assim como o papa, com razão, fulmina aqueles que, de qualquer forma, procuram defraudar o comércio de indulgências,

74. muito mais deseja fulminar aqueles que, a pretexto das indulgências, procuram fraudar a santa caridade e verdade.

75. A opinião de que as indulgências papais são tão eficazes a ponto de poderem absolver um homem mesmo que tivesse violentado a mãe de Deus, caso isso fosse possível, é loucura.

76. Afirmamos, pelo contrário, que as indulgências papais não podem anular sequer o menor dos pecados venais no que se refere à sua culpa.

77. A afirmação de que nem mesmo São Pedro, caso fosse o papa atualmente, poderia conceder maiores graças é blasfêmia contra São Pedro e o Papa.

78. Dizemos contra isto que qualquer papa, mesmo São Pedro, tem maiores graças que essas, a saber, o Evangelho, as virtudes, as graças da administração (ou da cura), etc., como está escrito em I.Coríntios XII.

79. É blasfêmia dizer que a cruz com as armas do papa, insigneamente erguida, eqüivale à cruz de Cristo.

80. Terão que prestar contas os bispos, curas e teólogos que permitem que semelhantes sermões sejam difundidos entre o povo.

81. Essa licenciosa pregação de indulgências faz com que não seja fácil nem para os homens doutos defender a dignidade do papa contra calúnias ou questões, sem dúvida argutas, dos leigos.

82. Por exemplo: Por que o papa não esvazia o purgatório por causa do santíssimo amor e da extrema necessidade das almas – o que seria a mais justa de todas as causas –, se redime um número infinito de almas por causa do funestíssimo dinheiro para a construção da basílica – que é uma causa tão insignificante?

83. Do mesmo modo: Por que se mantêm as exéquias e os aniversários dos falecidos e por que ele não restitui ou permite que se recebam de volta as doações efetuadas em favor deles, visto que já não é justo orar pelos redimidos?

84. Do mesmo modo: Que nova piedade de Deus e do papa é essa que, por causa do dinheiro, permite ao ímpio e inimigo redimir uma alma piedosa e amiga de Deus, mas não a redime por causa da necessidade da mesma alma piedosa e dileta por amor gratuito?

85. Do mesmo modo: Por que os cânones penitenciais – de fato e por desuso já há muito revogados e mortos – ainda assim são redimidos com dinheiro, pela concessão de indulgências, como se ainda estivessem em pleno vigor?

86. Do mesmo modo: Por que o papa, cuja fortuna hoje é maior do que a dos ricos mais crassos, não constrói com seu próprio dinheiro ao menos esta uma basílica de São Pedro, ao invés de fazê-lo com o dinheiro dos pobres fiéis?

87. Do mesmo modo: O que é que o papa perdoa e concede àqueles que, pela contrição perfeita, têm direito à plena remissão e participação?

88. Do mesmo modo: Que benefício maior se poderia proporcionar à Igreja do que se o papa, assim como agora o faz uma vez, da mesma forma concedesse essas remissões e participações cem vezes ao dia a qualquer dos fiéis?

89. Já que, com as indulgências, o papa procura mais a salvação das almas do que o dinheiro, por que suspende as cartas e indulgências, outrora já concedidas, se são igualmente eficazes?

90. Reprimir esses argumentos muito perspicazes dos leigos somente pela força, sem refutá-los apresentando razões, significa expor a Igreja e o papa à zombaria dos inimigos e fazer os cristãos infelizes.

91. Se, portanto, as indulgências fossem pregadas em conformidade com o espírito e a opinião do papa, todas essas objeções poderiam ser facilmente respondidas e nem mesmo teriam surgido.

92. Portanto, fora com todos esses profetas que dizem ao povo de Cristo "Paz, paz!" sem que haja paz!

93. Que prosperem todos os profetas que dizem ao povo de Cristo "Cruz! Cruz!" sem que haja cruz![8]

94. Devem-se exortar os cristãos a que se esforcem por seguir a Cristo, seu cabeça, através das penas, da morte e do inferno.

95. E que confiem entrar no céu antes passando por muitas tribulações do que por meio da confiança da paz.

[1517 A.D.]

Notas Finais:


*Originalmente publicado em: Revista Espaço Acadêmico – Nº 34 – Março de 2004 – ISSN 1519.6186. Edição revista e estudo introdutório ampliado. Agradeço muito a leitura atenta e a sugestão de revisão do reverendo Günter M. Pfluck (Passo Fundo–RS), em 10 de setembro de 2008.


[1]Lutero refere-se à caixa de coleta de rendas oriundas da venda de “cartas de indulgência”. (Vide Tese 36)

[2]Observa neste trecho o quanto a postura de Lutero não é cismática, mas reformadora, pois reconhecia, pelo menos em 1517, o papel do Papa como intercessor.(Vide Teses 61, 69, 70, 71, 72, 73, 74, 75, 76, 77, 78, 79, 80, 81, 83, 84, 87, 89, 90, 91)

[3]No século XVII, Gregório da Mattos Guerra(1633-1696) voltaria, com sarcasmos, a este tema em seu poema-missiva “A Jesus Cristo Nosso Senhor”: Pequei, Senhor; mas não porque hei pecado./Da vossa clemência me despido,/porque, quanto mais tenho delinqüido,/vos tenho a perdoar mais empenhado./.../Eu sou, Senhor, a ovelha desgarrada./ Cobrai-a e não queirais, pastor divino,/perder na vossa ovelha a vossa glória. (MATOS, Gregório de. Poemas Escolhidos. São Paulo, Cultrix, 1976. p. 297).(Vide Teses 44, 49, 67, 76, 84, 93)

[4]Lutero é marcadamente agostiniano e, por isso, insiste no valor pedagógico do castigo, na utilidade do sofrimento, no recurso necessário aos métodos repressivos – tanto em matéria de fé quanto de política.(Vide Teses 94, 95)

[5]Em 1525, Lutero afirmaria abertamente que condenada estaria toda a obra que não nascesse do amor, no sentido da “charitas” de Cristo, o que significava que a “obra” concebida como “cálculo de indulgência” não teria o menor efeito, mesmo porque não caberia ao homem julgar a fé de outrem, pois somente Deus conheceria o que se passava no coração dos homens. O efeito disso, diferentemente do tom ainda conciliador de 1517, era tornar a instituição eclesiástica completamente desnecessária para reger o “mundo interior” do cristão.(Vide Teses 47, 48, 49, 51, 52, 53, 55, 57, 58, 65, 66)

[6]Esta tese tem dois alvos: em âmbito geral, a elite nobre e não-nobre alemã que desperdiçava recursos em encomendas de missas ou patrocínio de igrejas às custas da miséria ou exação de seus subordinados; em âmbito particular, o Cardeal Alberto de Brandeburgo(1490-1545). Para ter sua confirmação para o Arcebispado de Mayence em 1514, Alberto tinha que conseguir uma soma considerável e enviá-la para Roma. Para tanto, ele fez um empréstimo e o assentou, com autorização papal, sobre a arrecadação das indulgências vinculadas à construção da Basílica de São Pedro em Roma. Segundo o acordo entre Alberto e o Papado, metade do arrecadado iria para a construção da basílica e a outra metade para Alberto quitar suas dívidas provenientes da investidura no arcebispado. No final das contas, o Papa teria o conjunto das rendas de Brandeburgo vinculadas às indulgências.(Vide Teses 46, 47, 48, 50, 51, 52, 55, 56, 59, 65, 66, 82, 83, 85, 86, 88)

[7]Vide Tese 38.

[8]Com tal imprecação, Lutero espera uma reforma moral da Igreja e seu rebanho, o que significava a interiorização da fé, da contrição e da “charitas”.(Supra notas “3” e “5”